Foto: Extraída no google - Divulgação Motta Filho

O Hospital Estadual Geral e Maternidade de Uruaçu (Hemu), obra em construção na região Centro-Norte de Goiás, está com 95,97% do projeto principal executado e 43,97% da segunda parte da obra em andamento, referente ao almoxarifado, subestação elétrica, central de gás, entre outros. A unidade aguarda reequilíbrio financeiro estadual para que as obras, que já estão avançadas, sejam retomadas.

A unidade, que começou a ser construída na gestão passada, é financiada com recursos do tesouro estadual e, quando estiver em pleno funcionamento, realizará atendimentos exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Após o início de suas atividades, o Hemu vai compor a rede de Hospitais Gerais do Estado de Goiás (Hoge), juntamente com o Hospital Estadual Geral de Goiânia Alberto Rassi (HGG), Hospital Estadual de Pirenópolis Ernestina Lopes Jaime (Heelj) e Hospital Estadual e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), integrando o complexo de unidades da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO).

O secretário da Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, ressalta a importância de conclusão das obras do Hemu para a regionalização da saúde em Goiás, um dos pilares da sua gestão. “A unidade será concluída e suas atividades serão fomentadas e muito bem aproveitadas para a oferta de saúde na Região Centro-Norte”, afirma.

Alexandrino lembra ainda que em pleno funcionamento, o hospital terá custeio de mais de R$ 100 milhões anuais e que a gestão buscará apoio no Ministério da Saúde para a manutenção da unidade.

“Apesar de ter sido inaugurado para a população no ano passado sem a sua devida conclusão, o Hemu não teve um cronograma de execução. Agora, precisamos de uma dotação orçamentária, pois a verba não foi prevista no orçamento da gestão anterior”, diz. No entanto, o titular da SES lembra que por meio de uma gestão com extrema responsabilidade, a população daquela região pode contar com o Hospital que será concluído e entrará em funcionamento.

Regionalização

Segundo o secretário de Saúde, o Hemu é de fundamental importância para o atendimento de saúde regionalizado e alcançará mais de um milhão de habitantes distribuídos nos 60 municípios daquela região. Estão previstos para esse hospital atendimentos em gineco-obstetrícia, urologia, proctologia, clínica médica e cirúrgica, ortopedia, traumatologia, cardiologia, gastroenterologia, pneumologia, neurologia clínica e mastologia, além de realização de exames, leitos de UTI’s adulta, pediátrica e neonatal e atendimentos de urgência e emergência.

Após o secretário de Saúde de Goiás visitar o município de Santa Terezinha de Goiás no último mês de fevereiro, uma policlínica também está sendo viabilizada para a Região Centro-Norte de Goiás. Na cidade, a regionalização da Saúde proposta por Alexandrino, uma estrutura física que seria utilizada pela gestão municipal para um hospital de pequeno porte, será remodelada para que uma policlínica seja implantada.

Para o secretário, a Policlínica Regional permitirá um melhor uso da estrutura construída na cidade e será mais um instrumento para colaborar com a regionalização da saúde.