Na data de ontem, 12 de fevereiro de 2019, a Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública/DERCAP, cumpriu o mandado de prisão preventiva em desfavor de Eder Alves da Rocha.

O investigado é suspeito de cobrar valores para que pacientes fossem atendidos sem ter que aguardar a regular ordem de espera. Os atendimentos intermediados por ele visavam principalmente a realização de cirurgias em tais pacientes, eletivas ou de emergência, burlando a fila de espera.

De acordo com as investigações, os valores cobrados variavam de R$ 1.200 a R$ 2 mil, a depender da intervenção cirúrgica. As investigações continuam para a identificação de agentes públicos e outros particulares envolvidos no esquema.

O investigado responderá pelo crime de corrupção ativa, sem prejuízo de outros delitos eventualmente comprovados na fase final da investigação.