Salário de janeiro começa a ser liberado

Nesta segunda, servidores que recebem até R$ 6 mil terão seus salários depositados

102

Nesta quarta-feira, dia 23, receberão os trabalhadores com vencimentos entre R$ 6 mil e R$ 7 mil. No dia 29 de janeiro, entre R$ 7 e R$ 11 mil. No último dia do mês, dia 31, os que ganham acima de R$ 11 mil, concluindo 100% da folha do funcionalismo.

“A partir de agora, todos os servidores receberão dentro do mês trabalhado”, anuncia Caiado. Em relação à folha de dezembro, destaca que o ex-governador “para salvar o CPF dele, penalizou o CPF de todos os servidores do Estado”. Ele disse que vai discutir com o funcionalismo e encontrar as melhores alternativas para quitar a dívida

Em visita à Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) no último domingo, dia 20, o governador Ronaldo Caiado anunciou que concluirá o pagamento do mês de janeiro de 83% dos servidores públicos até esta terça-feira (22/01).
O cronograma de pagamento inicia-se nesta segunda, dia 21, quando os funcionários públicos do Estado, que recebem até R$ 6 mil líquidos, terão seus salários depositados até o meio-dia. Integrantes das forças policiais, Educação e Saúde serão os primeiros contemplados. No dia seguinte, servidores das demais pastas e autarquias, que se incluem naquela faixa salarial, receberão seus proventos.

Na quarta-feira, dia 23, receberão os trabalhadores que têm vencimentos líquidos entre R$ 6 mil e R$ 7 mil. No dia 29 de janeiro, entre R$ 7 e R$ 11 mil. No último dia do mês, dia 31, os que ganham acima de R$ 11 mil, concluindo 100% da folha do funcionalismo dentro do mês trabalhado.
“A partir de agora, todos os servidores do Estado receberão dentro do mês trabalhado, como vai acontecer agora em janeiro”, disse o governador. Em relação à folha de dezembro, ele destacou que o ex-governador “para salvar o CPF dele, penalizou o CPF de todos os servidores do Estado”. Caiado disse que vai discutir com servidores e encontrar as melhores alternativas para quitar a dívida herdada.

“Estamos agindo com total transparência, não mentimos, não trapaceamos, somos verdadeiros e, com apoio dos servidores, que trabalharam sábado e domingo, conseguiremos transferir tudo que tem no caixa do Estado. Não ficará R$ 1 de reserva, estamos repassando para os servidores”, destacou o governador.

A medida faz parte de um esforço conjunto da Sefaz e da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), que passaram o fim de semana inteiro para fechar a folha, de forma a minimizar o sofrimento do funcionalismo – que está sem receber o mês de dezembro por irresponsabilidade das gestões anteriores.

Segundo Caiado, as dificuldades enfrentadas pelo novo governo são incontáveis e as dívidas chegam a R$ 3,4 bilhões. Setores essenciais, como a Saúde, estão em situação calamitosa e necessitam de atenção do Poder Público.

“Os hospitais estão fechando, não têm medicamentos nem para os pacientes internados. Há um colapso completo. Mas fizemos compromisso e estamos quitando 83% da folha de janeiro no dia 22. Agora, não podemos esquecer que a prioridade é a vida das pessoas. O que for entrando, a partir de agora, terei de quitar compromissos na Saúde”, alertou.

Herança maldita

Questionado sobre o pagamento do mês de dezembro, que não foi sequer empenhado pelo ex-governador, Ronaldo Caiado reafirmou que segue em diálogo permanente com os sindicatos e que busca alternativas para o caos financeiro pelo qual passa Goiás.

No entanto, todo esforço foi feito para garantir o salário do funcionalismo de janeiro dentro do mês trabalhado. Segundo ele, isso consumiu todos os recursos advindos da arrecadação e de repasses do governo federal.

“Os técnicos da Sefaz e da Segplan estão fazendo tudo conforme a lei. Não faremos como os governos passados que retiravam dinheiro carimbado, como o do Fundeb, para bancar contratos terceirizados. Agora, temos que pensar naqueles que não têm sindicatos para defendê-los: os pacientes que estão internados sem medicamentos, sem vagas de UTI”, disse.

Medidas

O anúncio vem um dia após Caiado apresentar relatório oficial de técnicos da Sefaz e da Secretaria de Gestão e Planejamento, que comprova o rombo de R$ 3,4 bilhões deixados pelas últimas administrações. Para se ter ideia, o governador recebeu o governo do Estado com apenas R$ 13 milhões, na conta única da Caixa Econômica Federal, sendo que R$ 2 milhões já estavam penhorados.

A irresponsabilidade das gestões Marconi Perillo e José Eliton impediu o novo governo de quitar a folha do funcionalismo referente ao mês de dezembro, reafirmou Caiado.

Desde que assumiu o governo, o governador tem implementado medidas duras para garantir que Goiás supere a crise o mais rápido possível. Além da expectativa de inclusão do Estado no Regime de Recuperação Fiscal (RRF) do governo federal, há uma determinação para que sejam cortados 20% de todos os contratos das secretarias e autarquias, além de redução de gastos e otimização de pessoal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.