Policiais civis do Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) e da Delegacia de Apuração de Atos Infracionais (DEPAI) de Luziânia realizaram mais uma operação que culminou na prisão de Larissa da Silva Bastos, 18 anos, suspeita da participação no assassinato de Ailton Alves dos Santos, 30 anos, no dia 14 de outubro deste ano. De acordo com as investigações, a vítima foi morta a golpes de machado, faca e pedra.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Maurício Passerini, Larissa era a única que não havia sido localizada entre os suspeitos pela prática do crime. Interrogada, a investigada confessou a autoria delitiva e detalhou a dinâmica dos fatos. Segundo Larissa, que não quis explicar os motivos do crime, ela cometeu a ação delituosa em companhia de outros três amigos. Os autores deixaram a vítima totalmente desfigurada.

Após a prática do crime, Larissa mandou que sua irmã menor assumisse a autoria, para que ela não fosse presa. Entretanto, após o trabalho investigativo da Polícia Civil, a farsa foi descoberta, e a prisão de Larissa requerida. Participaram das investigações e das diligências os policiais civis Cecília, Adriele, Emília e Ygór.